2016, Favoritos, Ficção, Grande Desafio do Culto Booktuber 2016, Língua Geral, Resenha

Os malaquias

Os Malaquias, de Andrea Del Fuego


“Todos se recolheram, a noite ia grossa, o vento afrouxava as janelas. As telhas vibravam, num mínimo gesto a tempestade nasceria dentro da casa. Os pais dormiam em um quarto. Nico, Júlia e Antônio em outro, na mesma cama, aninhados em forma de embrião.
Um gato esticou as pernas, as paredes se retesaram. A pressão do ar achatou os corpos contra o colchão, a casa inteira se acendeu e apagou, uma lâmpada no meio do vale. O trovão soou comprido até alcançar o lado oposto da serra. Debaixo da construção a terra, de carga negativa, recebeu o raio positivo de uma nuvem vertical. As cargas invisíveis se encontraram na casa dos Malaquias.
O coração do casal fazia a sístole, momento em que a aorta se fecha. Com a via contraída, a descarga não pôde atravessá-los e aterrar-se. Na passagem do raio, pai e mãe inspiraram, o músculo cardíaco recebeu o abalo sem escoamento. O clarão aqueceu o sangue em níveis solares e pôs-se a queimar toda a árvore circulatória. Um incêndio interno que fez o coração, cavalo que corre por si, terminar a corrida em Donana e Adolfo.
” (pp. 19-20)

Os Malaquias foi lido para um dos desafios do mês de maio dO Grande Desafio do Culto Booktuber. A Gabi, do canal Frases Perdidas, propôs que lêssemos um livro premiado. Escolhi este livro pois o havia comprado já há tempos e ele estava me esperando na estante. Sempre tive muita vontade de lê-lo (meu amigo Lucas já me havia recomendado que lesse algo escrito pela Andrea Del Fuego), mas nunca peguei para ler efetivamente. A oportunidade surgiu, e eu agarrei.

Os Malaquias foi o livro vencedor do Prêmio José Saramago 2011 e finalista do Prêmio Jabuti. O Prêmio José Saramago acontece a cada dois anos desde 1999, e “distingue uma obra literária no domínio da ficção, romance ou novela, escrita em língua portuguesa, por um escritor com idade não superior a 35 anos, cuja primeira edição tenha sido publicada em qualquer país da lusofonia, excluindo obras póstumas”, segundo o próprio regulamento. Por enquanto, Andrea Del Fuego é a segunda brasileira a levar o prêmio, sendo a primeira Adriana Lisboa em 2003, com Sinfonia em branco.

O trecho reproduzido no início do post está na segunda e na terceira páginas da história. Ele dá o tom para o livro. A família Malaquias é inicialmente formada por cinco pessoas: Donana e Adolfo, os pais; Nico (9 anos), Antônio (6 anos) e Júlia (4 anos). Durante uma noite tempestuosa, um relâmpago cai na casa dos Malaquias a mata os pais. As três crianças são resgatadas no dia seguinte e, a partir daí, cada uma segue um rumo diferente. Trata-se de uma história de encontros e desencontros, rumos e decisões.

Passada em Serra Morena, um ambiente rural – algo relativamente raro na literatura brasileira atual -, o lugar dos Malaquias também não é um lugar real. Parece um lugar de transição, um limiar entre a vida e a morte. Muitas vezes, temos a impressão de estar lendo um sonho, um lendo ou um mito, trazida pelo realismo mágico entranhado na obra.

A linguagem de Del Fuego é absolutamente impressionante. De prosa ágil e qualidade até um pouco crua, ainda que lírica, as frases curtas e capítulos pequenos permitem uma leitura rápida e intensa. Nos personagens, percebemos qualidades ásperas ou secas, graças ao ritmo da linguagem.

A narração em terceira pessoa – mas não onisciente – dá muitos saltos, deixando lacunas e vazios que só enriquecem a experiência de leitura.

Não posso deixar de falar da edição publicada pela editora Língua Geral. Diagramação, projeto gráfico, qualidade do material, revisão, tudo impecável. O corte do livro é de um tom amarelo escuro, e cada capítulo é separado dos outros por uma página preta. Este título faz parte de uma coleção chamada Ponta de lança, que visa divulgar autores atuais que escrevem em língua portuguesa. Já quero todos os títulos, foram todos para a wishlist.

20160512_105404   20160512_105532

Livro recomendadíssimo, ainda mais para quem gosta de Cem anos de solidão do Gabriel García Márquez, e de A cabeça do santo de Socorro Acioli, e para quem quer ouvir novas vozes, e de altíssima qualidade, da literatura brasileira.

Clique aqui para comprar Os Malaquias pela Amazon (comprando por este link, você gera uma comissão para o Redemunhando)

+ info:

Os Malaquias / Andrea Del Fuego.
Rio de Janeiro: Língua Geral, 2010.
272 páginas.

classificação: 5 estrelas

grau de dificuldade de leitura: MEDIO

Obrigada pela leitura!

Ficarei muito feliz se você deixar um comentário! (Para fazer isso, é necessário clicar em “comentários”, um pouco abaixo do título do post. E não se esqueça de logar antes de escrever o comentário, para que ele não seja perdido.)

Se gostou da resenha, compartilhe com seus amigos!

Anúncios
Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s