2015, Civilização Brasileira, História, Não ficção, Resenha

Mitos clássicos

Mitos clássicos, de Jenny March

“Um livro como este costuma apresentar, em seu início, uma tentativa de definir o conceito de mito e a discussão das muitas teorias sobre suas origens e seus significados. Nada disso é tratado aqui – nem sequer é, devo dizer, de meu interesse. A palavra ‘mito’ vem do grego mythos, que significa ‘palavra’ ou ‘fala’ ou ‘história’, e considero plenamente satisfatória sua definição recente (de Richard Buxton): ‘uma história tradicional socialmente poderosa.’ Um mito é uma história porque apresenta um conjunto de eventos em uma sequência narrativa; é tradicional por ser transmitido de geração a geração; e é socialmente poderoso ao explorar os valores de grupos sociais e de comunidades. Eu ainda acrescentaria uma quarta característica aos mitos clássicos: seu poder perene de inspirar grandes obras de arte e a grande poesia, tanto nos tempos antigos quanto ao longo dos séculos, até os dias atuais.” (p. 22)

Jenny March é uma respeitada classicista britânica. Foi professora das Universidades de Londres e de Oxford, e possui alguns livros-referência publicados a respeito de mitologia greco-romana.

Solicitei o livro Mitos clássicos para o Grupo Editorial Record graças à parceria com o blog, e não me baseei em indicações. (Sugiro fortemente que assistam ao vídeo ao final do post, em que falo um pouco a respeito de como funcionam as parcerias de editoras com blog, e mais especificamente do Grupo Editorial Record com o Redemunhando.) Instintivamente o escolhi pela sinopse (havia mais um ou dois livros disponíveis sobre mitologia), pois achei que se adequava mais ao meu perfil de historiadora, professora e curiosa! Qual não foi minha surpresa ao descobrir o tamanhão do livro (mais de 500 páginas) e sua bela capa! Embora assustada com o tamanho, fiquei feliz com a escolha e decidi encará-lo aos poucos.

O livro traz uma compilação de mitos gregos e romanos (daí a denominação “clássicos”) divididos em 17 capítulos, como: “A criação”, “Os deuses”, “Heróis e monstros”, “A Guerra de Troia”, “Mulheres perigosas”, “A fundação de Roma”, “Metamorfoses” e “Mitos de amor e morte”. Mas antes de tudo isso, a autora faz alguns esclarecimentos úteis e necessários em sua introdução: justifica a existência de mais mitos gregos que romanos na edição – até porque os romanos herdaram grande parte da tradição mitológica e religiosa grega -, explica o funcionamento do livro (divisão em capítulos organizados cronologicamente), suas opções de grafias grega, romana ou inglesa, e as fontes utilizadas, sendo as duas principais os textos literários e as formas visuais (pinturas em vasos gregos). E, como mostrado no trecho inicial do post, usa uma definição simples para “mito” como base de seu livro.

O método de contação dos mitos por March é bastante interessante. Em geral, ela parte de uma fonte primordial e complementa-a com outras, diversas (até citando trechos dos documentos, em geral, poesias). Por exemplo, no primeiro capítulo, A criação, a autora revela que utilizará os escritos de Hesíodo mas, para explicar a intrincada genealogia dos seres mitológicos clássicos (deuses, titãs, gigantes, etc.), recorrerá também a outras fontes como forma de complementação e esclarecimento. Dessa maneira, a leitura fica muito mais compreensível – e, portanto, prazerosa. Uma das coisas que mais me irritava em livros sobre mitologia era que eles eram confusos, sem explicar direito as origens ou as relações de parentesco entre os deuses. Esta obra trata de elucidar tais assuntos.

O livro conta ainda com dois mapas (do Mundo Grego e do Mundo Mediterrânico) e duas cartas estelares (hemisfério norte e hemisfério sul), além de um índice remissivo e bibliografia.

A tradutora e os editores são dignos de elogios, pois cuidadosamente colocaram notas de rodapé extremamente pertinentes em diversos momentos. O livro é grande mas a leitura é tão agradável que ele flui com facilidade. A edição está muito interessante, desde a capa em alto relevo, até o cuidado com as notas de rodapé. As páginas amareladas são mais confortáveis para a leitura e, apesar de ser grande, não é um livro (fisicamente) pesado, pois suas folhas são leves.

Há algum tempo constatei que alguns dos temas da disciplina de História pelos quais os alunos de Ensino Fundamental e Médio mais se interessam são Segunda Guerra Mundial e mitologias, sejam elas greco-romanas ou egípcia, nórdica, mesopotâmica, chinesa, indígena, etc. Mitos clássicos é perfeito como manual; explica quem são exatamente os deuses principais do Olimpo (e seus correspondentes romanos), suas principais características, e as narrativas mitológicas mais importantes: a fundação de Roma, a Guerra de Troia, a Odisseia.

(A título de curiosidade, comecei a ler O herói de mil faces, de Joseph Campbell, que fala bastante sobre psicanálise e o poder dos mitos nas narrativas. Tinha começado a lê-lo antes, mas estava um pouco confuso. Após iniciar a leitura de Mitos clássicos, retomei a obra de Joseph Campbell e o entendimento foi muito mais fácil.)

+ info:

Mitos clássicos / Jenny March; tradução Maria Alice Máximo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015. 560 páginas.

Clique aqui para comprar Mitos clássicos pela Amazon (comprando por este link, você gera uma comissão para o Redemunhando)

classificação: 5 estrelas

grau de dificuldade de leitura: MEDIO

Obrigada pela leitura!

Ficarei muito feliz se você deixar um comentário! (Para fazer isso, é necessário clicar em “comentários”, um pouco abaixo do título do post. E não se esqueça de logar antes de escrever o comentário, para que ele não seja perdido.)

Se gostou da resenha, compartilhe com seus amigos!

Anúncios
Padrão

15 comentários sobre “Mitos clássicos

  1. Fantasia é AMOR, Nati!! eu jamais pulari pro 16′ hahha
    Uma coisa que me incomoda em livros de mitologia é que eles são sucintos DEMAIS. Loonge de pecar por se alongarem em descrições e adjetivações, a mim parece que de uma sentença pra outra se pula MUITA coisa. eu acho que eles tentam cobrir tantos mitos quanto puderem e acabam cobrindo mais do que deviam. acho que é por isso que muitas vezes a gente tem essa memória confusa de quem é quem ou quem fez o quê na mitologia.Esse livro deve dar uma descrição mais saudável, porque eu nunca vi um tão grande!! rs
    Gosto muito da Nórdica!!! você falou em drama, e de drama esses nórdicos entendem! heheh
    (você soube que em 1999 eles fizeram um “remake” do Fantasia?? Chama Fantasia 2000! Lembro que fui ver no cinema!! e um trecho que me marcou super foi o do Espírito da Primavera, liiiindo! Procurei pra você ver, se não conhecer https://vimeo.com/36277436 )

    muitos beijos!!

    • Ai, Lala, também AMO “Fantasia”, vou ver esse 2000!!!!!!!! É um remake ou outras músicas?
      Sabe que eu não tinha pensado nisso que vc falou? Pode ser isso, os livros serem sucintos demais! Esse, achei bem na medida! Não me incomodou nem a objetividade nem as menções a parentescos e tal. Nada exaustivo nem ausente!
      Hahahaha juuura que vc gosta de mitologia nórdica, sua viking?! Hahahaha! Curto também, mas conheço só o basicão: Thor, anel dos nibelungos, etc.! Hahahaha falta muito! 😛
      Beijooooos, obrigada pela visita e comentário!

      • Ah é muito maluca, a Nórdica! só diversão!
        me expressei mal… não é um remake, na verdade, é uma “parte II”. São músicas diferentes e historinhas diferentes. Só a do aprendiz de feiticeiro que “repete”, clássico. Assiste, sim, Nath! é lindo ^^

  2. ❤ Mitologia! É um dos motivos de eu gostar muito mais de história antiga do que moderna/contemporânea
    Só achei estranho o comentário da autora na passagem, tipo: "Não vou falar da origem nem do significado de mito, mas olha, veio do grego e significa tal…" 😛
    Também gostei que você explicou como funciona a parceria 🙂

    • Nossa, sério que vc gosta de História Antiga mais do que Contemporânea? 😛 Hahahaha não é tão estranho, mas me surpreendi…
      Que bom que vc gostou da explicação sobre a parceria, achei necessário… também não entendia muito bem como funcionava. Só quis deixar claro para os leitores que não vou fazer simplesmente propaganda, serei sincera nas opiniões, como sempre. Mas também vou escolher livros que me interessem, então pode ser que sejam resenhas bem positivas por esse motivo! 🙂
      A passagem da autora parece estranha, mas é boa porque permite ver que ela explica, mas sem se estender exaustivamente sobre o assunto. Tipo, se ela escrevesse de maneira acadêmica, ia ficar discutindo o que cada autor fala que é mito, etc. Particularmente, eu acho isso um saco (mas sei que faz parte do rigor científico). Ela só fala: mito é isso e pronto acabou, essa é a definição que vou usar! Hahahaha!!!
      Beijoooo, obrigada pelo comentário!

  3. Mylene disse:

    A mitologia nos ensina muito da alma humana. Não deixa de ser uma viagem de auto conhecimento. Sempre muito curiosa a respeito ,nunca li além de comentários ou estórias aleatórios. Este livro parece dar uma visão ampla a respeito sem ser cansativo. Quero muito ler!

    • Mamy, vc vai gostar!!! Vou ver se consigo levar pra São José quando for.
      Como vc disse, os mitos refletem muito da alma humana! O outro livro que citei, “O herói de mil faces”, fala justamente disso (ele é até baseado em psicanálise)!
      Beijos!!

  4. Nati linda, parabéns pela parceria!!! Tenho certeza de que tu vai sempre dar teu ponto de vista mais sincero possível relacionado à leitura que tu fez. De início esse livro não me chamou taaanto atenção, mas depois que tu explicou que se tratava de mitos como os de Tróia e a Caixa de Pandora, fiquei mais curiosa. São coisas que ficamos sabendo muito pouco em aulas de história ou em filmes. Eu que sou e sempre fui rata de enciclopédias fiquei cheia de curiosidade. Quando era adolescente, jogava um jogo no computador que chamava Ceasar. Era da época de César, e no jogo tu era ele e tinha como objetivo criar uma cidade, e uma das coisas principais era não esquecer de cuidar da parte religiosa, pra agradar a população, ou seja: os deuses gregos e romanos! Era muuuito divertido! E esse livro ainda tem mapas! Nossa, deve ser lindo e muito completo. Vou colocar lá no Skoob pra não esquecer. Beeeeijo!

    • Obrigadaaaa, Kat!!! Fiquei tão feliz com a parceria, está sendo muito legal!
      Olha, eu achei um estilo meio enciclopédico mesmo, mas é narrativo! Conta o surgimento dos deuses, a fundação mitológica de Roma, a Odisseia, e vários outros mitos super tradicionais – mas daqueles que a gente ouve falar o tempo todo e nunca sabe o negócio inteiro!!!
      Tem só 2 mapinhas, mas já dá pra se localizar!
      Esses jogos são bem legais, eu adorava Civilization, já jogou?!?! XD
      Beijoooos, obrigada pelo comentário!

    • Oiii Giovanni, seu sumido!!!
      Muito obrigadaaa!
      Esse livro de mitologia é o melhor que já li do tema, achei muito bem organizado e narrado. Fica o menos confuso possível (não dá simplesmente pra NÃO ficar confuso, já que a mitologia é confusa, mas enfim)!
      Abraços, obrigada pelo comentário! 😀

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s