2014, Pessoal, Sem categoria

Retrospectiva 2014

Olá, caros leitores!

2014 foi um ano diferente para mim. Mudei-me de São José dos Campos (SP) para Belo Horizonte (MG), e arrisquei mais do que pensei que arriscaria. Deixei meu emprego, de que gostava muito, meus amigos mais próximos e família ficaram no estado de São Paulo. Mas tudo bem, porque foi tudo *em nome do amor*, e não me arrependo. Já dizia o poeta, “Tudo vale a pena, se a alma não é pequena”. Espero que a minha seja grande o bastante.

Recomeçar é sempre difícil: fazer novos amigos, reconstruir uma reputação profissional para conseguir  trabalho, encontrar forças para voltar à academia; criar coragem para sair para dançar numa cidade desconhecida. Depois que o turbilhão passa, parece até que foi só uma marolinha (mas, à época, não foi). Encarar a solidão é um pouco assustador.

Entre tantos recomeços, também retomei minha coleção de livros. Como já disse no primeiro post do blog, sempre fui apaixonada por livros, mas de uns anos pra cá, vinha lendo pouco, se comparado aos primeiros anos da adolescência – ou pelo menos essa era a minha impressão. Quero dizer, na faculdade de História, obviamente eu lia bastante, mas a grande maioria das obras era acadêmica, e não ficcional, como é mais do meu gosto. Além disso, eram muitos capítulos dispersos e poucas obras completas.

Fiz uma grande doação de livros (veja a lista aqui e uma foto aqui) para amigos, ex-alunos e pessoas que cuidariam bem deles. O apartamento de BH não é muito grande – e quando eu vim, não tinha estante! -, então acabei escolhendo alguns livros de que eu realmente gosto (pode falar “amo”?) e estou trazendo aos pouquinhos. Cheguei em BH e virei a louca dos livros: vários sites entraram em promoção, aí não resisti a me cercar novamente deles. (Obrigada, Ian, que me ajudou a comprá-los e nunca reclamou dos meus livros! ♥)

A diferença é que antes, eu não os lia tanto – apenas os tinha (uma vez, li uma frase do Luis Fernando Veríssimo em uma de suas crônicas e que se adaptou tão bem a mim! Era algo como “Eu amo mais os livros do que lê-los”!).

Este ano, comecei a acompanhar alguns canais literários do youtube (booktubers): primeiro o da Tati Feltrin, depois, dos Brunos (Minha estante e Despalavreando), e depois, mais um monte: Cabine Literária, Garota It, Literature-se, O batom de Clarice, Alisson7Potter, Lendo e Comentando, Melina Souza, República de meninas, Tríplice Literária, Ensaio sobre a Inconstância. No início, achei os vídeos de comentários literários chatos e meio pretensiosos, mas aos poucos me acostumei e agora sou viciada. É muito bom abrir o youtube e ver que tem vídeos novos dos canais que sigo! Quem sabe não tomo coragem para fazer um canal do Redemunhando? (Ainda preciso de uma câmera nova, pois a minha “morreu”.)
Alguns blogs merecem menção também: Livro arbítrio, Um livro que eu não li, Universo de estrelas.
Através desse povo, recebi indicações e comentários preciosos sobre livros: alguns eu acatei, concordei, me empolguei; outros serviram como provocação e uma bela sacudida nas minhas convicções e impressões literárias.

Em janeiro de 2014 resolvi criar o blog, em parte impulsionada a tentar fazer uma parceria com alguma editora – coisa que não consegui até hoje, mas não tem problema. Daqui a pouco, elas vão implorar para terem parcerias comigo! 😛 Outra parte porque queria deixar registradas as impressões causadas pelas leituras que fiz: muitas vezes, esquecemos de algumas coisas que, na época da leitura, nos impressionaram ou algo do tipo. Fora que é sempre bom exercitar a escrita.

Enfim, nunca li tantos livros em um ano. Tudo isso graças ao blog e, obviamente, a vocês, leitores queridos que curtem, comentam e me cobram resenhas! (É uma delícia ver visitas de Portugal, do Japão, da Noruega, dos EUA, etc., nas estatísticas!) Além de impulsionar minha velocidade de leitura, o blog também me ajudou a ser mais crítica em relação aos livros, prestar atenção em coisas (às vezes, detalhes) que antes passavam despercebidos e, principalmente, organizar essas leituras na minha própria cabeça. Ah! Meu nível de exigência com as leituras está aumentando cada vez mais, o que me torna gradativamente uma pessoa muito crítica (também conhecido como “chata”).

E, inegavelmente, minha bagagem cultural aumentou de maneira sensível, não só por conhecer novos autores, mas também por “me obrigar” a ler novos gêneros. Só para se ter uma ideia, em 2014 li histórias em quadrinhos, livros de divulgação científica, poesia, crônicas, ficção, não ficção, biografia, clássicos (brasileiros e estrangeiros), contos, romances históricos. Com certeza minha visão de mundo era mais estreita do que isso.

Vamos aos números:

  • Este ano, li 43 livros (aqui, estão incluídos os 4 quadrinhos/graphic novels e 5 releituras), dando uma média de 3,5 livros por mês. Não leio muito rápido (se bem que isso depende muito do livro) nem toda hora, mas me ajudaram aqueles aspectos que já mencionei: estar sozinha grande parte do tempo, estar desempregada até metade do ano, etc. Além disso, ter a meta de escrever para o blog uma vez por semana acabou impulsionando também a velocidade das leituras.
  • Melhores leituras de 2014 (ordem alfabética):
    • 1964: História do Regime Militar Brasileiro (um livro com uma escrita na medida certa entre o academicismo e o público leigo, com boas referências e uma temática fundamental);
    • As virgens suicidas (narrativa inusitada e surpreendentemente leve, considerando a pesada temática principal. Entrou para a minha lista de favoritos de todos os tempos);
    • Bilhões e bilhões (ciência em sua melhor forma para todo mundo, com uma pitada de poesia);
    • Crônica de uma morte anunciada (história curta – não sei definir se simples ou complexa – sobre a condição humana: vida e morte, vingança, honra, comunidade. Ótima introdução para quem nunca leu García Márquez. Entrou para a minha lista de favoritos de todos os tempos);
    • Design para quem não é designer, de Robin Williams (não fiz resenha deste, pois é um livro mais técnico, e eu não tenho a mínima formação para falar sobre ele e criticá-lo. Mas trata de alguns princípios básicos de diagramação, assunto que tem me interessado ultimamente. Uma introdução bastante didática e uma boa surpresa, pois comprei na Black Friday sem saber direito se seria bom);
    • Divergente (trilogia) (distopia escrita para jovens adultos que não subestima seu público: traz assuntos importantes em termos pessoais e coletivos);
    • Ensaio sobre a lucidez (Saramago e suas ideias geniais. E sua escrita genial. E a capacidade de escrever, ao mesmo tempo, sobre a realidade e a ficção. Entrou para a minha lista de favoritos de todos os tempos);
    • Frankenstein (a releitura me fez entender melhor algumas coisas; o que o livro provoca no leitor é melhor do que aquilo que ele conta explicitamente);
    • Harry Potter e a Pedra Filosofal, Harry Potter e a Câmara Secreta, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban (releituras desta série maravilhosa que é HP. Comentários quando eu terminar a releitura de todos os livros, em 2015!)
    • Histórias de Paris (contos fortes e sensíveis, uma verdadeira aula de como escrever contos);
    • Ligue os pontos: poemas de amor e big bang (poesia contemporânea e despretensiosa do Gregório Duvivier);
    • Nu, de botas (crônicas da infância de Antonio Prata, engraçadíssimas!);
    • O grande Gatsby (clássico da literatura norte-americana que eu nunca imaginei que gostaria, e gostei!);
    • O último voo do flamingo (meu primeiro contato com Mia Couto, história interessante e linguagem riquíssima!!!);
    • Rei Emir Saad: o monstro de Zazarov (quadrinhos ácidos sobre um ditador cruel e sórdido);
    • Vidas secas (uma história demasiadamente humana sobre sobrevivência).
  • Piores leituras de 2014:
    Em ambos os casos, fui ler com a expectativa muito alta e me decepcionei. Aliás, descobri que ter grandes expectativas é um problemão para mim.

Percebi que acho difícil classificar os livros com estrelinhas. Pelo menos, é mais difícil fazê-lo imediatamente após sua leitura. Outra das maiores descobertas que fiz graças ao blog é que a história não se materializa apenas no momento em que nós lemos, mas parte de sua grandeza está também no impacto que causa na gente depois de algum tempo, as lembranças que temos das sensações que aquelas histórias nos causaram. Ou seja, não só o durante da leitura importa, mas também seu depois. Por isso, resolvi fazer uma revisão nas “estrelinhas”; abaixo, trago livros que “cresceram” em mim após alguns dias de terminada a leitura, e livros que “diminuíram”:

  • Livros que “cresceram” após algum tempo:
    • As meninas (a narrativa e as personagens fizeram mais sentido após um “descanso” e uma dose de reflexão sobre a obra)
    • Série Filhos da Terra (coitada da Ayla, fui muito dura com ela na resenha. A personagem foi criada assim, tão perfeita, para representar várias mudanças na humanidade em uma única personagem; ela é um símbolo. Mas por ser uma pessoa só, acabou me irritando na época. Hoje é uma das séries que mais me marcaram);
    • Trilogia Divergente (a ideia é muito boa e o impacto após o fim da série – leia-se “ressaca literária” – foi grande. Acho que o subestimei por ser voltado para um público-alvo adolescente)
  • Livros que “diminuíram” após algum tempo:
    • A agenda (apesar de ter me entretido à época, hoje já não me lembro da leitura como sendo interessantíssima);
    • Fim (também foi se esmaecendo na minha mente, “perdendo importância” frente a outros livros);
    • Morte súbita (ainda adoro o livro, apenas a empolgação passou)

 

  • Comentários aleatórios:
    • “Apanhei” de duas leituras ao longo do ano: Os versos satânicos (esqueci bastante coisa do livro, seria necessário relê-lo para recapturar alguns aspectos dos quais eu gostei, mas não pretendo fazer isso tão cedo) e A casa verde (demorei quase dois meses para lê-lo, e me surpreendi com o número de vezes que odiei o livro e também com o número de vezes que o amei. Verdadeira relação de amor e ódio). Ambas as obras são muito desafiadoras e, apesar dos perrengues, não me arrependo nem um pouco de ter dedicado um pouco mais te tempo (e de neurônios) para elas. Foram livros que eu gostei muito de ter lido e pretendo reler no futuro, eles pedem por uma releitura atenta.
    • O gene egoísta é um livro excelente, mas demorei mais do que gostaria para lê-lo, e acabou deixando uma sensação de repetição muito grande (sendo um livro sobre replicadores, isso faz muito sentido). A trilogia Fronteiras do Universo também foi uma leitura muito boa e agradável, os livros evoluem de maneira super interessante (embora o primeiro tenha sido mais marcante para mim). Os dois ainda merecem as estrelas que lhes atribuí, mas não entraram para a lista de favoritos de todos os tempos.
    • Mais uma possibilidade aberta pelo blog foram as releituras. Eu nunca tinha relido meus livros favoritos, embora sempre tivesse a intenção de fazê-lo. E este ano, reli Frankenstein (Mary Shelley), Elogio da Loucura (Erasmo de Roterdã), Harry Potter e a Pedra FilosofalHarry Potter e a Câmara Secreta, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban (J. K. Rowling).
    • Visitei literariamente muitos países com as leituras deste ano: além do Brasil (São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, sertão nordestino), também fui à Índia, aos EUA, à Colômbia, à Suíça, à França, à Moçambique, ao Peru, ao Paquistão, à Inglaterra, ao Chile, ao Afeganistão, à Portugal, à Nigéria e ao Irã (fora os mundos fictícios e inalcançáveis: o espaço sideral, a Europa pré-histórica, a Alemanha nazista, o Brasil na ditadura militar, Zazarov, Hogwarts).
    • Li várias histórias escritas por autoras e/ou com protagonistas femininas, coisa a que não estava muito acostumada antes: As virgens suicidasDivergenteAs meninasEu sou MalalaFronteiras do UniversoMorte súbitaFrankensteinA agendaFimsérie Filhos da TerraPersépolisA vida do livreiro A. J. Fikry, Pequena Abelha.

Em geral, foi um ano de ÓTIMAS leituras, o que acabou gerando um monte de resenhas elogiosas. Houve leitores que me questionaram: por que eu não critico livros de fato, apontando defeitos? Na realidade, eu tento sim mostrar o que me incomoda, mas neste ano, acabei lendo muito mais coisas que gostei do que que não gostei (ainda bem!). E tem a ver com minha personalidade também, tendo a enxergar mais os pontos fortes que os fracos.

Obrigada a todos vocês pelo (enorme!!!) apoio que me deram com esse projeto. Apesar de simples, o blog dá muito trabalho, e o feedback é sempre bem-vindo, seja ele crítico, elogioso ou sugestivo.

E que 2015 nos traga muito mais livros!!!

Anúncios
Padrão

17 comentários sobre “Retrospectiva 2014

  1. Oi, tudo bom?
    Adorei sua retrospectiva. Você foi realmente corajosa – muito corajosa. Vou fazer uma retrospectiva também, já estou fazendo na verdade, ela irá ao “ar” no dia 31. Mas vai ser uma retrospectiva um pouco diferente, vai falar mais das fases, lutas e conquistas do blog do que das minhas leituras em si.
    Beijos e feliz 2015!

    • Oi, Aliscia!
      Muito obrigada pela visita e pelo comentário! ^^
      Com certeza vou ver sua retrospectiva, seria legal se vc indicasse os melhores livros que leu no ano, que tal? (Sempre adoro novas indicações!)
      Beijos!

  2. tatiana disse:

    Descobri como faz comentários pelo cel! !! Adorei esse post. Eu sempre coloco nas minhas metas do ano ler mais livros, mas no meio da correria as coisas se perdem. É inspirador ver o quanto vc leu e vem desenvolvendo esse hábito desde criança. As resenhas são ótimas e viram uma espécie de filtro pra nós seguidores. Fora que você me dá muitos livros bons que me estimulam a ler! ! Em 2015 quero ler todo dia da semana antes de dormir e ler coisas diferentes. Começando com a fila que eu tenho.

  3. tatiana disse:

    Agora tirando Minhas metas pessoais que você inspira, o blog é um grande presente!! Essas coisas demoram para ser impulsionadas mas depois vai criando público. Os posts também foram melhorando e o toque pessoal que você dá sempre é legal. Adorei você ter mostrado por onde viajou com os livros. Eu estou lendo aquele da costureira no marrocos e parece que Estou lá. Hahhaha e coitada da ayla. Parabéns pelo blog naná!!! Continue nos inspirando.

    • Tatekinha, que lindos seus comentários!!!!! :ó)
      Não sei se gosto dessa coisa de metas (para mim). Se bem que essas que vc mencionou, tudo bem, pois são flexíveis. Geralmente, o povo faz assim: “vou ler 100 livros este ano!!!”, aí fica frustrado quando não consegue 😛
      Demora mesmo pra criar um público cativo para o blog, mas vcs me ajudam muito (vc, mãe, Menchik, Nai, Carol, e todo mundo que visualiza e comenta)! 😀
      Esse da costureira é uma super viagem pelo Marrocos, esse foi um dos motivos pra eu gostar do livro!
      Ah! E pra eu parar de te dar livros, vc vai ter que PEDIR pra eu parar. Porque pra mim, é um dos melhores presentes, e agora tenho muitos para recomendar!
      Bexim, muito obrigada pelo apoio!

  4. luana araujo disse:

    Nate adorei esse post! O seu blog me fez ler mto mais esse ano e tambem buscar variar mais os tipos de leituras. Parabens pelas otimas resenhas desse ano.
    Vou aproveitar para pegar indicacoes para o ano que vem.
    E adorei vc ter mencionada as meninas a leitura desse e outros livros tbm foram crescendo com o tempo para mim.

    • Luuu, muito obrigada pelo comentário!!! ❤
      Você é outra apoiadora do blog, e obrigada por isso! Adorei "As meninas", e vc não perde por esperar menções a você! Hahahaha!!!
      Pode continuar me recomendando livros, pois vc é ÓTIMA nisso! 😉
      Que bom que o blog está te incentivando a ler mais; eu posso dizer que estou assistindo a bem menos tevê!
      Beijooooooos!!!

  5. Mylene disse:

    Meu Deus, quanto livro p/ ler!! Redemunhando é um ótimo filtro. Depois dos comentários sei exatamente os que me agradam,e os que não me interessam. Seus comentários são fáceis de entender e deixam bem claro o tipo de leitor que vai gostar ou não do llivro. VALEU REDEMUNHANDO!!!! Até 2015!! … Mylene

  6. Que lindo, Toka!! Caraca, você leu muito mesmo!!! Haha Só posso dizer que foi um ano de resenhas impecáveis! Espero ver muitas resenhas em 2015 e que você continue inspirando nossas leituras!!

  7. Ai, qto livro bom!!!!
    Melhor ainda é ver que já lemos vários livros em comum e que vc considera tanto meu blog 😀 Tb acho que as editoras estão perdendo em não fazer parcerias conosco rsrsr, e os percalços do seu ano com ctz as fizeram mais forte ( eu tb contei como foi o meu ano num texto lá no Skoob, depois tu lê). Enfim, mto bom ter vc como uma amiga neste universo aqui. BJUSSSSS

    • Hahahaha obrigadaaaa, Karla!!!
      Adoro meus amigos virtuais-literários, e vc é sempre muito carinhosa! 🙂
      Obrigada pelo apoio! Aguardemos as editoras implorarem por nossas parcerias em 2015! uhahuahuahuahuau!
      Beijos!

  8. Jéssica Muniz disse:

    Nathy querida, adorei sua retrospectiva! Parabéns!
    Várias resenhas suas me fizeram colocar o livro na listinha de desejados!
    Muito sucesso para o blog e para você em 2015!!
    Beijos, saudades!

  9. Pedoro disse:

    Nate! Que post incrível! Adorei! 😉 Nos dois anos entre o fim da graduação e o começo do mestrado até que li bastante, mas agora é aquela coisa: só textos/livros acadêmicos… Sinto falta da ficção! Ah, Morte Súbita continua “crescendo” pra mim. Inclusive dei de presente de Natal pro meu host father. Espero que ele goste tanto quanto eu gostei. Beijo! Saudade!!!

    • Pedoroooo, amo seus comentários!!!!!!!!
      Vou retomar estudos agora, então acho que também lerei menos ficção, mas a gente sente falta mesmo…
      “Morte súbita” eu realmente adorei! E não entendo como é um livro tão polêmico! Hahahahaha!
      Beijos, saudades!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s