2014, Lista, Pessoal

“Corrente dos livros”

Meu amigo Pedro Menchik me convidou para fazer essa corrente no facebook, e como ela tem tudo a ver com o blog, resolvi postar aqui também.

Segue a lista com os dez livros mais importantes para mim (sem ordem específica):

capas

1) Série Harry Potter (J. K. Rowling). A coleção inteira foi importante para mim! Acompanhei a idade do personagem principal, inclusive quando ele ficou chato, e quando a série acabou, senti que minha adolescência também ficava para trás. Os livros do Harry me consolidaram como uma leitora voraz, e, além do criativo e absolutamente ENCANTADOR mundo mágico criado por Rowling (‪#‎xatiada‬ por não ter recebido uma carta de Hogwarts), o livro trata de temas como amizade e também de dificuldades que muitas crianças e adolescentes passam (rejeição, nova escola, dúvidas, entre muitas outras coisas). Parte importante da minha vida.

2) Série Os Karas (Pedro Bandeira). Antes ainda de Harry Potter, Pedro Bandeira me conquistou com seus infanto-juvenis cheios de aventura, romance e suspense. Claro e direto, ainda tem a vantagem de se ambientar no Brasil, em locais relativamente familiares para mim (escola particular, ruas de São Paulo, etc.). Foi o primeiro autor que eu passei a indicar (e até hoje o faço para leitores juvenis).

3) Frankenstein (Mary Shelley). Li no Ensino Médio, por indicação da professora , achando que encontraria um livro de terror, mas o que encontrei foi uma obra questionadora da natureza humana, e da sempre problemática relação entre criador e criatura. Adorei!

4) Ensaio sobre a cegueira (José Saramago). Apesar de já ter lido alguns livros considerados “adultos” para o vestibular, senti que entrei definitivamente para o mundo adulto (literário) depois de ler Ensaio sobre a cegueira. Saramago, com aquela escrita dinâmica e rica (que às vezes leva um pouquinho de tempo para acostumar), me pegou em cheio. Na realidade, comecei a ler o primeiro capítulo dentro de uma livraria e foi ali que ele me fisgou. Fiquei curiosa com a história (uma epidemia de cegueira branca que pega uma cidade inteira de surpresa), e também com a maneira de escrever do autor. Um dos meus livros preferidos até hoje!

5) Primeiras estórias (João Guimarães Rosa). Antes mesmo de Sagarana, li alguns contos de Primeiras estórias. Confesso que de primeira não li todos, mas os que li foram absolutamente LINDOS (A menina de lá, Sorôco, sua mãe, sua filha, A terceira margem do rio, Os irmãos Dagobé, Famigerado). De uma sensibilidade infinita e linguagem roseana. Mais recentemente, li todos os contos, e confesso que não gostei de alguns, mas como um todo, o livro é sensacional.

6) Um estudo em vermelho (Arthur Conan Doyle). Sou fã de Sherlock Holmes, e essa história é a responsável. É por ela que Dr. Watson conhece Holmes e todas as suas habilidades dedutivas. A introdução para Sherlock e a Londres do século XIX.

7) O auto da compadecida (Ariano Suassuna). Li a peça para um curso da faculdade, e me surpreendi com a similaridade com o filme, do qual eu já gostava. Deliciosamente sertanejos, os personagens te conquistam por sua grande humanidade (malandragem!) e humor. Se quiser ler uma peça de teatro brasileira, esta tem um formato bem direto e é super divertida!

8) Morte e vida severina (João Cabral de Melo Neto). Escolhi este para representar a poesia na minha lista. Não sou grande fã de poesia – apesar de me identificar com os versos de Carlos Drummond de Andrade. Mas esse poema (épico-tupiniquim?) é quase uma prosa, e foi exatamente isso que me chamou a atenção. Conta a trajetória de um retirante em busca do mar, e no caminho encontra latifúndios, sertanices (que, como vocês já perceberam, é um tema que eu AMO) e o ser humano em seu estado mais cru. Maravilhoso.

9) 1984 (George Orwell). Para mim, o melhor livro do gênero distopia (comparando com “Farenheit 451” e o pioneiro “Admirável mundo novo”). Uma previsão assustadora da sociedade vigiada e sem privacidade. É a história de um cidadão acostumado com o sistema de vigilância do Grande Irmão (o Big Brother) que começa a questionar a naturalidade e a inevitabilidade desse sistema sociopolítico. Mudou minha visão de mundo por sua percepção.

10) Cem anos de solidão (Gabriel Garcia Marques). Já haviam me recomendado a obra (e o autor), mas eu nunca tinha ido atrás. Ganhei de presente no aniversário do ano passado de um amigo com gosto muito confiável em literatura, e dei a ele uma chance (ao livro, não ao amigo). É a história da família Buendía, contada de geração em geração, com todas as suas peculiaridades e realismo fantástico. Achei às vezes a história um pouco lenta, mas ao terminar o livro, tudo fez sentido, foi como se um ciclo se fechasse na minha cabeça. Leitura imprescindível para quem tem um gosto literário parecido com o meu!

Em breve, pretendo reler e resenhar alguns desses livros, na intenção de que inspire alguém a lê-los!

Você já leu algum dos livros da minha lista? Gostaria de ler? Quais foram os livros que marcaram sua vida? Deixe seu comentário!

Anúncios
Padrão

2 comentários sobre ““Corrente dos livros”

  1. Tatiana disse:

    Não tenho uma lista ainda, mas vários dos seus eu gostaria de ler!!
    O mais legal foi: #xatiada porque não recebi uma carta de Hogwarts! hahaha tambpem fiquei na esperança quando fiz onze…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s